A cidade levou o título e ainda teve Francisco Barreto como o campeão no individual geral e todos os olhares voltados para o campeão olímpico e mundial, estrela da equipe

São Caetano do Sul – O ginasta Arthur Zanetti foi a principal atração dos Jogos Abertos de Mogi das Cruzes, no último dia de competições da ginástica artística – levou a medalha de prata nos saltos, com 14.016 (o ouro ficou com Vitor Camarço, de Santos, com 14.416). Arthur ainda ganhou uma medalha de ouro no solo, na soma dos dois dias, mas o público que foi ao ginásio do Centro Esportivo da Universidade de Mogi das Cruzes queria ver o campeão olímpico e mundial em ação. Arthur foi cercado por jovens e crianças, do público e ginastas, em busca de fotos e autógrafos.

Arthur comemorou a vitória de São Caetano, no masculino, com 335.016 pontos, seguido por Santos (321.416) e São Bernardo do Campo (308.232); e no feminino (189.480 pontos), com São José dos Campos (182.264) em segundo e São Carlos (179.065) em terceiro. Francisco Barreto, de São Caetano, foi o campeão individual geral, com 84.700.

Quando questionado sobre o grande assédio, Arthur disse que acha isso importante para o esporte.”Mostra que está todo mundo ligado na ginástica e querendo praticar.” Sobre ser um campeão olímpico numa competição menor, disse que pensou em fazer sua parte. “Estou aqui para competir, não importa se eu sou campeão mundial e olímpico. Sempre participei desses Jogos, é a décima vez consecutiva que eu disputo. Eu vejo que o assédio mudou, claro, mas sempre competi nos Jogos Regionais e Jogos Abertos pela minha cidade. É legal ter familiares, parentes no ginásio. Eu sempre tive meu pai, mãe e avó nas arquibancadas…”

“Eu acho que minha presença pode servir para inspirar novas gerações e mostrar um pouco mais da ginástica para as pessoas. A gente simplifica a série, mas não deixa de competir. Eu perdi muito da forma física após o Mundial de Antuérpia, o que é normal. Quando vou estar novamente em 100%? Bom…. Acho que só no Mundial do ano que vem”, disse Arthur, descontraído. Explicou que faz solo e saltos em algumas competições para ajudar o seu clube, a SERC/Agith/São Caetano e também a seleção brasileira.

O técnico Marcos Goto optou por não escalar Arthur Zanetti nas argolas, o aparelho em que é especialista, nos Jogos Abertos. Mas Arthur volta a se apresentar nas argolas na quarta-feira (30/10), no Memorial Arthur Gander, em Morges, na Suíça. A temporada ainda não terminou para o campeão olímpico e mundial, que ainda disputa uma etapa da Copa do Mundo em dezembro.

Arthur Zanetti é atleta da SERC/Agith/São Caetano, tem patrocínio da Sadia, Furnas, adidas e CAIXA e apoio do COB, CBG e Bolsa Atleta/Ministério do Esporte.