O campeão olímpico fará as provas de classificação nas argolas e solo nesta 4ª-feira, em Doha, Catar, na primeira competição de 2013, rumo aos Jogos do Rio, em 2016

São Caetano do Sul – O ginasta Arthur Zanetti estreia na temporada de 2013 e no novo ciclo olímpico – que vai até os Jogos do Rio, em 2016 – na etapa da Copa do Mundo de Doha, Catar, nesta quarta-feira (27/3), nas classificatórias das argolas e do solo. O primeiro objetivo de Arthur, que compete pela primeira vez sob as regras do novo código de pontuação da FIG, a Federação Internacional de Ginástica, será avançar para as finais dos dois aparelhos, na quinta e sexta-feiras (28 e 29/3). O campeão olímpico terá a companhia de outros dois ginastas brasileiros, Henrique Medina e Francisco Barretto, também da SERC/Santa Maria, de São Caetano, comandados pelo técnico Marcos Goto.

Por causa do novo código de pontuação da ginástica mundial, a nota de partida de Arthur está um décimo mais baixa em relação à apresentação nas argolas na Olimpíada de Londres (nota 15.900), que valeu o ouro. “O objetivo em Doha é fazer minha parte. Não tenho pressão nem foi fixado pelo meu técnico que tenho de vencer. Vou fazer a minha parte e o resultado que vier vai ser consequência. Se for ouro, tudo bem, se for prata, também.”

Arthur sabe que vai ser mais visado no circuito internacional pelo status de campeão olímpico. Mas optou por tirar um elemento de força (substituiu uma prancha fechada por uma afastada) de sua apresentação. Como ainda não está no ritmo de competição, é início de ano e seu objetivo para a temporada é o pódio no Mundial de Ginástica Artística, em setembro, preferiu baixar a nota de partida nesta primeira competição do ano.

Embora o foco esteja na disputa do Mundial em 2013, Arthur também já está pensando nos Jogos do Rio. “Neste ciclo já estamos focando 2015, que vai ser a classificatória para a Olimpíada, e, ao mesmo tempo, já pensando em 2016. Eu sei que sou o foco e vou trabalhar para que isso não aconteça (ser batido pelos rivais), mas não é em toda competição que vou para ganhar”, disse Arthur.

Espelho para crianças

Arthur deixou São Caetano com o coro de “Vai, Zanetti!”, gritado pelas meninas da ginástica.Terá a torcida das 300 crianças e jovens que treinam com ele na Sociedade Esportiva, Recreativa e Cultural (SERC), seu clube – que mantém escolinhas para formação, além do grupo de ginastas de elite -, em São Caetano do Sul.

“Eu me sinto um espelho para eles – algumas mães, inclusive, vêm me dizer isso, que o filho se motivou por estar aqui treinando. Sei que é bom para a criançada ter o espelho próximo, mas também para mim, porque a cada dia tenho de me esforçar mais para demonstrar isso a eles. Isso também resulta numa evolução técnica”, observou Arthur. “O objetivo é também estimular, para que cada dia mais crianças possam optar pela pratica do esporte”, acrescentou.

Inspiração para os colegas

Henrique Medina, companheiro de treinos de Arthur, vai estrear em Copas do Mundo em Doha, nas argolas e no cavalo. Fez futebol, natação e capoeira antes de optar pela ginástica, aos 7 anos. O encontro com o técnico Marcos Goto foi por acaso, quando o treinador assumiu a turma na SERC. O acaso também foi responsável pelo encontro entre sua mãe e o técnico.

“Minha mãe vinha ver treinos, competições, e eles acabaram se casando. Mas não estou na equipe por ser o filho do técnico. Fora daqui, nem falamos em ginástica. Ser filho do técnico também significa mais cobrança”, diz Henrique, que considera Arthur Zanetti uma inspiração. “Treinamos juntos, competimos juntos, nos cobramos muito, trocamos informações”, contou. “O Arthur subiu de patamar. Agora, é trabalhar para também tentar chegar a outro nível.”

“Da primeira vez que disputou uma Copa do Mundo, o Arthur foi décimo”, lembrou Marcos Goto. “Se o Henrique pegar uma final, já vai ser ótimo. Ele é um menino esforçado.Treina em dois períodos, faz Engenharia à noite, na Mauá, que não é qualquer faculdade, trabalha para conseguir o que quer.”

Chico mira finais

Aos 23 anos, Francisco Barretto, o Chico, também vai disputar a etapa da Copa do Mundo de Doha com Arthur Zanetti – vai competir no cavalo, barras paralelas e barra fixa. Começou na ginástica aos 7 anos, quando ainda morava em Ribeirão Preto – está na SERC, em São Caetano, desde 2003. “Fiz judô, basquete, natação, handebol, mas me identifiquei mesmo foi com a ginástica”, contou. “Sentia prazer de treinar todo dia e fui tomando gosto pelo esporte cada vez mais.”

Em Doha, o primeiro objetivo é ir às finais. “Aí, a medalha vai ser consequência. Sei que etapa de Copa do Mundo não é uma competição fácil. Os atletas treinam para isso, mas eu também treinei duro e posso conseguir.” Chico, se formou em Educação Física em 2012 e pensa em fazer pós-graduação na área, mas ainda não tem planos de deixar as competições. “Por enquanto, meu foco é a ginástica. Quero continuar me dedicando. Mais para a frente, posso até trabalhar como técnico, mas sempre na ginástica.”

Arthur Zanetti é atleta da SERC, tem patrocínio de Sadia e CAIXA e apoio da Nike.