“Férias são para os fracos”, brinca o técnico Marcos Goto, acrescentando que o ginasta ainda compete na Suíça e no Japão; desde que voltou do Mundial, atleta só teve tempo para ver a família e atender a imprensa

São Caetano do Sul – O ginasta Arthur Zanetti não terá férias após a conquista do ouro nas argolas no Mundial de Antuérpia (BEL), no sábado (5/10). Pelo menos, não agora – volta aos treinos imediatamente e ainda fará duas ou três competições até dezembro. Desembarcou no Brasil na terça-feira (8/10). Primeiro, matou saudades dos pais, Arquimedes e Roseane, do irmão, Victor, da avó Neide, da namorada, Juliana, e de familiares. Nesta quarta-feira (9/10), recebeu a imprensa no ginásio da Agith/SERC, onde treina, em São Caetano do Sul. E só. Os compromissos com imprensa e patrocinadores serão encaixados na rotina de treinos. Zanetti ainda quer comer bomba de chocolate, o que não fez desde a chegada, e precisa retomar os trabalhos e estudos no curso de Educação Física da Universidade de São Caetano do Sul (USCS).

A coletiva do ginasta e do técnico Marcos Goto em São Caetano foi concorrida, bem parecida com a de jogadores de futebol. Arthur se disse surpreso. “Achava que viria menos gente. É bom para mim, para o ginásio e bom para a ginástica brasileira.” Quando entrou no ginásio, foi recebido com palmas pelos colegas e alunos da Agith, posou para fotos e mostrou a medalha.

“Queria descansar um pouco, mas nem tem como, porque já tenho mais competições”, disse Arthur, que compete no 30º Memorial Arthur Gander no dia 30 de outubro, em Morges, na Suíça, e, se tiver parceira, uma competição em dupla, a Swiss Cup, em Zurique, dias 1, 2 e 3 de novembro. Nos dias 14 e 15 de dezembro disputa a Copa Toyota, etapa da série de Copa do Mundo.

“Nossa última obrigação é em dezembro. Mas as próximas disputas serão mais tranquilas, sem classificatória, de um dia, menos desgastantes”, acentuou o técnico Marcos Goto, brincando: “Férias são para os fracos… Ele precisa de descanso sim, mas só após cumprirmos nossas obrigações.” Depois das férias em dezembro, Arthur volta em janeiro para treinar para os Jogos Sul-Americanos, em março, primeiro compromisso de 2014.

O que disse Arthur sobre vários assuntos

Pressão e nome no código
“Já trabalho a parte psicológica e agora vou ter de trabalhar muito mais. Vou dizer que meu nome complementou um pouquinho mais a história da ginástica brasileira. Já tinha a Daiane, o Diego, a Jade e agora tem o Zanetti. Estou contribuindo um pouquinho para aumentar esse número de atletas que trouxeram bons resultados para a nossa ginástica.”

São Caetano do Sul
“Se não acontecer nada, pretendo continuar em São Caetano. Tenho minha família, os amigos, o grupo de treinos, moro perto… Gosto de manter a humildade e as raízes.”

Pensa em 2016
“Passa o filme na cabeça de um pódio olímpico no Rio, mas tem de pensar primeiro em 2015, que é a classificatória. Se não fizermos uma boa classificatória, podemos esquecer 2016. Nosso objetivo é levar uma equipe e estamos trabalhando para isso.”

Falta o título pan-americano
“O nível e a pressão são mais baixos num Pan-Americano comparados ao Mundial e à Olimpíada e posso dizer que fico um pouco mais tranquilo, sim. Mas não posso ficar muito tranquilo porque é aí que, geralmente, nada acontece. Vou continuar trabalhando duro, quatro vezes mais, para continuar tendo os melhores resultados.”

Choro
“Já chorei muito quando era pequeno, quase todo dia, porque o treinamento era muito intensivo, mas eu chorava mais quando fazia flexibilidade – sempre fui muito duro. O Marcos pegava a gente para forçar e a gente chorava porque doía.”

Espelho para novas gerações
“Percebo que o título mundial foi importante porque as pessoas me param, falam comigo. Mas a ficha ainda vai demorar a cair. O que aconteceu na Olimpíada e, agora, no Mundial…Depois da Olimpíada, percebi que a ficha não cai de um dia para o outro. Agora é curtir ao máximo, mas, com certeza, seguir focado no treinamento para estar sempre demonstrando o melhor para os novos atletas aqui no ginásio mesmo, servir de espelho.”

Arthur Zanetti é atleta da SERC/Agith/São Caetano, tem patrocínio da Sadia, Furnas, adidas e CAIXA e apoio do COB, CBG e Bolsa Atleta/Ministério do Esporte.