O brasileiro, que também é campeão olímpico, volta ao cenário internacional no Memorial Arthur Gander, em Morges, em apresentação de gala da ginástica artística

São Caetano do Sul – O ginasta brasileiro, Arthur Zanetti, disputa o 30º Memorial Arthur Gander, na cidade de Morges, na Suíça, nesta quarta-feira (30/10), em sua primeira aparição no circuito internacional após a conquista da inédita medalha de ouro nas argolas no Mundial de Antuérpia (BEL), em 5 de outubro. Mas, desta vez, Arthur não tem a pressão por resultados. Mesmo assim, quer ser o melhor nas argolas, um dos quatro aparelhos que vai disputar no torneio, uma apresentação de gala da ginástica artística, com formato distinto. Além do Brasil, participam ginastas de Suíça, Itália, Alemanha, Inglaterra, França, Canadá, Romênia e China.

Arthur, de 23 anos, explicou que a competição, por ser diferente, é adequada para o período pós-mundial. O ginasta não exibe a mesma forma física, o que é natural em fim de temporada, e vem de treinos irregulares, com muitas interrupções em função da agenda de mídia e de compromissos com patrocinadores e homenagens, após o sucesso da conquista do ouro em Antuérpia.

“Aqui em Morges vou competir em quatro aparelhos, se passar para a final. Primeiro vou fazer argolas, o meu aparelho, mais solo e salto, os dois outros aparelhos que treino. Tenho de me colocar entre os oito melhores ginastas, na somatória das notas das três apresentações iniciais, para ir à final e, aí sim, fazer o quarto aparelho, no meu caso, as paralelas”, conta Arthur, sobre o formato da competição, que premia os melhores ginastas em cada aparelho. “Espero ser o melhor nas argolas”, comenta Arthur que, no entanto, não tem pretensão de resultado na soma dos aparelhos. “É uma fase do ano bem complicada. O que vier é lucro!”, sintetiza, ressaltando, no entanto, que, como sempre, vai tentar fazer o seu máximo.

O técnico Marcos Goto acompanha Arthur e afirma que não seria mais possível pressionar o ginasta por resultados a esta altura da temporada. “Até porque ele não precisa mais de cobranças. Atingiu um nível que sabe exatamente quando se cobrar”, afirma o treinador, com quem Arthur trabalha, na SERC/Agith/São Caetano, desde os 9 anos.

Arthur venceu as argolas em todas as competições que disputou este ano. Foi campeão nas etapas da Copa do Mundo de Doha (15.800 pontos) e Anadia (15.800), bicampeão da Universíade, em Kazã (15.975), venceu os Jogos Regionais (15.750) e o Brasileiro (15.800), antes do ouro no Mundial da Antuérpia (15.800). Vai encerrar a temporada, após a disputa a Copa Toyota, etapa da série de Copa do Mundo, dias 14 e 15 de dezembro.

Arthur Zanetti é atleta da SERC/Agith/São Caetano, tem patrocínio da Sadia, Furnas, adidas e CAIXA e apoio do COB, CBG e Bolsa Atleta/Ministério do Esporte.