O ginasta, que se prepara para disputar o nacional de clubes por São Caetano, após o Mundial, gosta de bichos e fala de sua paixão pela cachorrinha de três anos

Ivi: bichinho de estimação acalma o ginasta

Ivi: bichinho de estimação acalma o ginasta

São Caetano – O ginasta Arthur Zanetti não esconde que sente saudades de Ivi, uma bull terrier de 3 anos, quando está fora de casa, em treinamento e competição. Nos meses que passou com a seleção brasileira, no Rio, em preparação para o Mundial de Glasgow – onde o Brasil assegurou a inédita vaga olímpica por equipes – Roseane, mãe do ginasta, assumiu os cuidados com Ivi. “Sempre gostei de cachorro e, principalmente, dessa raça, por ser forte, brincalhona e estabanada”, conta Arthur. “Sou apegado à minha família e namorada e sinto saudades. Mas sinto muita falta da Ivi também.” Enquanto busca forma física para defender o seu clube, a SERC/Agith, de São Caetano, no Campeonato Brasileiro de Ginástica Artística, de 17 a 22 de novembro, em Belo Horizonte, Arthur curte Ivi nos momentos em que está em casa.

“Meu pai (Archimedes) não queria bicho. Então, o único jeito foi comprar e levar para casa. Só em duas coisas que eu fiz na vida eu não pedi opinião do meu pai, a tattoo (tem a medalha de ouro olímpica, de Londres, tatuada no abdômen)e a Ivi. Procurei e achei em um pet de São Caetano – era uma bull terrier pirata, fêmea e branca. “Nossa, me apaixonei na hora!”.

Arthur acha que a presença e a convivência com um animalzinho serve para dar calma. “Eu posso estar nervoso, mas ela me tira o estresse, vem me acolher. Quando viajo sinto muito a ausência dela. Quando eu chego, de volta, ela até chora de alegria.”

O ginasta conta que Ivi chegou com 35 dias. E vai mostrando, no celular, as fotos do álbum em que tem vários momentos da cachorra. “Nossa, olha ela sem dente – o cão troca todos os dentes também -, não conseguia alcançar o pote de comida…”. E vai contando e mostrando as fotos.

Na volta do Mundial – Arthur desembarcou em São Paulo no dia 4 de novembro -, o ginasta sentiu a perda da forma física em função dos dias parados, por causa das viagens, e tenta se recuperar para representar bem São Caetano no Brasileiro. “Só ficamos um dia parado na volta. Tem de treinar para representar bem o meu clube. Vou fazer argolas, solo e salto, mas séries um pouco mais simplificadas.”

Arthur Zanetti é atleta da SERC/Agith/São Caetano, tem patrocínio da Caixa, Bergamini, Embratel Claro e adidas e apoio de Furnas, Ibramed, Spieth, Eurotramp, COB, CBG e Bolsa Atleta/Ministério do Esporte.