O ginasta mandou tatuar no abdome a medalha de ouro conquistada nas argolas, em Londres, para marcar um momento muito especial na carreira

São Caetano – O ginasta Arthur Zanetti vai carregar para sempre o ouro que conquistou nos Jogos de Londres, em 2012. O primeiro campeão olímpico da ginástica brasileira mandou tatuar a medalha no abdome, para marcar um momento muito especial da carreira. “Quando fui para Londres, já queria fazer alguma coisa para deixar marcada essa fase da minha vida. Só não sabia o que seria”, conta Arthur.

O ginasta chegou a pensar em tatuar os aros olímpicos. “Mas todo mundo faz isso, eu queria uma coisa diferente”, explica Arthur. “Já que eu conquistei a medalha, resolvi que seria ela que eu faria. E é bom porque a medalha contempla tudo: Londres, 2012, os aros olímpicos… É um símbolo só, que significa tudo.”

Arthur fez a tatuagem no dia 9 de janeiro, quando ainda estava de férias, antes do retorno aos treinos para a temporada, em que seu principal objetivo será o pódio no Mundial de Ginástica Artística de Antuérpia, Bélgica, em setembro. “Embora a medalha seja de ouro, mandei fazer a tatuagem em preto e branco. Se fizesse dourada, se confundiria com a pele. Assim, valorizei o desenho. Acho que ficou perfeito.”

A tatuagem é como um desenho a lápis, em tons de preto, valorizando todos os detalhes. Arthur optou pelo lado da medalha, desenhada pelo artista David Watkins, em que aparece Nike, deusa grega ligada à vitória. A medalha original tem 85 milímetros de diâmetro, sete de espessura e peso de 400 gramas, a mais pesada da história, e foi feita pela Royal Mint, a Casa da Moeda da Grã-Bretanha.

Arthur Zanetti é atleta da SERC, tem patrocínio da Sadia e CAIXA e apoio da Nike.