O campeão olímpico fará hoje a primeira apresentação nas argolas em Antuérpia, por vaga na final: ‘Se não tem um chinês tem outro e outros rivais bem duros’

São Caetano do Sul – O ginasta Arthur Zanetti disputa a qualificação nas argolas no 44º Mundial de Ginástica Artística, no Palácio dos Esportes de Antuérpia (BEL), nesta terça-feira (1/10), a partir das 6h15 (de Brasília) para buscar vaga na final – a decisão no aparelho será no sábado (5/10). Arthur foi vice-campeão mundial no Japão, em 2011, um ano antes da Olimpíada em que ganhou o inédito ouro nas argolas para a ginástica, e quer voltar ao pódio nesta edição do torneio. Mas prefere pensar em cada etapa. A concentração, agora, é na qualificação.

“É o grande objetivo do ano. A expectativa é de trazer uma medalha. Gostaria que fosse a de ouro,uma conquista que ainda não tenho, mas estou tranquilo. Vou fazer a minha parte, dar o máximo de mim e o resultado vai ser consequência. Não quero botar nem mais nem menos pressão do que em outras competições importantes, mas sim a pressão adequada para que eu consiga fazer bem os elementos”, afirma Arthur.

O Mundial reúne 410 ginastas, 269 no masculino, de 76 países e não é uma competição fácil. Arthur Zanetti treinou com o técnico Marcos Goto, na SERC/São Caetano, desde o início da temporada tendo a competição como foco principal do ano. Está preparado, mas sabe que terá muitos desafios. Nas argolas, o aparelho de Arthur, mesmo com a ausência do chinês Yibing Chen, medalha de prata em Londres/2012, que era imbatível até perder para o brasileiro na Olimpíada, são muitos os adversários a superar.

“Se não tem um chinês tem outro e mais outros rivais bem duros. Tem adversários que estão aqui competindo e já ganharam de mim. A preocupação é a mesma, sempre tem de estar de olho em todo mundo e não focado em um ginasta só”, acentua Arthur. Entre os principais adversários do brasileiro estão o grego Eleftherios Petrounias, líder do ranking mundial, o italiano Matteo Morandi, medalha de bronze na Olimpíada de Londres, o russo Denis Abliazyn (5º em Londres e 6º no ranking do ano) e o norte-americano Alexander Naddour (9º no ranking).

O ginasta, que é paulista de São Bernardo do Campo e treina em São Caetano do Sul, na SERC/Santa Maria, tem 23 anos. Entre seus objetivos estão dois títulos inéditos: o mundial e o pan-americano. Arthur acha que pode competir até os 30 anos e observa que ainda tem tempo para buscar os dois ouros que faltam em sua coleção.

Este ano, Arthur foi campeão nas argolas em todas as competições que disputou: etapas da Copa do Mundo de Doha (15.800 pontos) e Anadia (15.800), Universíade de Kazã (15.975), Jogos Regionais (15.750) e Brasileiro (15.800).

Arthur Zanetti é atleta da SERC/São Caetano, tem patrocínio da Sadia, Furnas, adidas e CAIXA e apoio do COB e Bolsa Atleta/Ministério do Esporte.