O campeão olímpico e mundial tirou a maior nota no aparelho (15.800) para passar para a final em primeiro e comemorou o resultado da ginástica masculina: ‘Brasil está de parabéns!’                                                                                                                                                                                                                                                                                                              

'O Brasil está de parabéns pela participação por equipes', diz Zanetti

‘O Brasil está de parabéns pela participação por equipes’, diz Zanetti

 

São Caetano do Sul – O campeão olímpico e mundial Arthur Zanetti começou bem a disputa dos Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá. Fez uma excelente apresentação nas argolas – nota 15.800 – para assegurar presença na disputa das medalhas. Na classificação, terminou na frente do norte-americano Donnell Whittenburg (15.450) e do cubano Tommy Ramos Nin (15.400). A final das argolas será nesta terça-feira (14/7/2015), no Toronto Coliseum. Arthur ainda comemorou a prata por equipes para o Brasil neste sábado (11/7).

Além da incrível atuação no aparelho em que é especialista, Arthur fez também solo e salto e levou a prata por equipes com Arthur Nory Mariano, Caio Souza, Francisco Barreto e Lucas Bittencourt. O Brasil somou 264.050 pontos (41.800, no solo; 43.050, no cavalo com alças; 45.050, nas argolas; 45.350, no salto; 44.550, nas barras paralelas; 44.250, na barra fixa). Os Estados Unidos ficaram com o ouro (267.750) e a Colômbia com o bronze (259.300). Caio Souza (87.200), em quinto, e Lucas Bittencourt (85.250), em sétimo, foram os melhores do Brasil

Arthur teve 14.750 no salto e 13.900 no solo, que foi o pior aparelho do Brasil na competição. “A equipe foi muito bem, todos fizeram a sua parte. Ainda tivemos alguns erros, o que é normal, mas competimos muito bem. Eu também fiquei feliz com a minha competição. Acertei o solo, apesar de minha série ser de nota baixa, acertei o salto e fui bem nas argolas. Eu peguei final das argolas. Gostei da minha participação e o Brasil está de parabéns por essa participação”, disse Arthur Zanetti, que repetiu no Pan a mesma série de argolas feita na etapa de São Paulo da Copa do Mundo. “Tem o americano, o cubano, vai ser uma final forte. Eu vou tentar fazer a minha parte”, comentou.

Os brasileiros torceram uns pelos outros, gritaram pelos companheiros. O espírito de equipe foi destacado pelo técnico Marcos Goto. “Nós competimos bem, dentro do esperado. Só no solo é que tivemos erros inesperados. Em todos os outros aparelhos o grupo foi bem, dentro do esperado a partir das avaliações que fizemos. O grupo está de parabéns”, disse Goto. Destacou que as equipes mais fortes estavam na subdivisão do Brasil.

Marcos comentou que o Brasil ainda precisa “ajustar algumas coisas” no tempo de treinamento que resta para o grupo até o Mundial de Glasgow, na Escócia, em outubro. O Mundial é classificatório para os Jogos Olímpicos Rio 2016.

Francisco Barreto está nas finais do cavalo com alças (6º na qualificação) e barras paralelas (8º); Caio Souza, no salto (1º) e paralelas (4º); Lucas Bittencourt, no cavalo com alças (8º) e barra fixa (8º); Arthur Mariano, no solo (9º), barra fixa (6º) e salto (3º).

Arthur Zanetti é atleta da SERC/Agith/São Caetano, tem patrocínio da CAIXA, Furnas e adidas e apoio da Spieth, Eurotramp, COB, CBG e Bolsa Atleta/Ministério do Esporte.