O ginasta, campeão olímpico e mundial, ganhou a prova pela terceira vez na temporada em etapas da Copa do Mundo, no Ginásio do Ibirapuera lotado                                                                                                                                                                                                          

Arthur Zanetti tira 15.900 nas argolas: ouro

Arthur Zanetti tira 15.900 nas argolas: ouro

São Paulo – Arthur Zanetti mostrou muita tranquilidade diante do público que lotou o ginásio do Ibirapuera, competindo em casa, com familiares e amigos nas arquibancadas, fez uma apresentação incrível e ganhou a medalha de ouro nas argolas na etapa de São Paulo da Copa do Mundo de Ginástica Artística, neste domingo (3/5/2015). Arthur Zanetti tirou 15.900 e ainda comemorou muito a dobradinha com o brasileiro Henrique Medina Flores, que levou a medalha de prata (15.100). Ambos são companheiros de treinamento desde que tinham 7 anos. O argentino Federico Molinari levou a medalha de bronze (15.000).

“Eu só tenho a agradecer, a organização, que fez um evento maravilhoso, e ao público brasileiro, que ajudou muito. Saiu tudo conforme o planejado, graças a Deus deu tudo certo e conseguimos trazer essa medalha para o povo brasileiro. É muito bom competir em casa. Eu já estava no final da série e sentia que ainda tinha força para gastar a vontade… Então, senti muito a energia do povo brasileiro, fez muita diferença”, disse Arthur Zanetti. Em 2006, quando o Brasil realizou uma etapa de Copa do Mundo em São Paulo, Arthur Zanetti não competiu. “Era um sonho competir aqui. E foi o maior teste que a ginástica brasileira vai passar até os Jogos. E conseguimos superar bem a pressão, não está atrapalhando em nada. A energia do público ajuda muito, me deu uma força que eu nunca senti na vida.”

O ginasta também vibrou com a dobradinha brasileira com o amigo Henrique Flores – ambos treinam juntos, desde crianças, na SERC/Agith, de São Caetano do Sul. “Foi maravilhosa a dobradinha. Eu amei que ele esteve ao meu lado no pódio. É muito dedicado, trabalha demais e conseguirmos essa dobradinha, ainda mais no Brasil, é maravilhoso. Agora eu preciso trabalhar para que o Henrique não me alcance, isso é o que eleva o nível. Vai um ajudando o outro, é ótimo. É maravilhoso estar ao lado dele, nos conhecemos há 17 anos, é um irmão”, afirmou sobre o colega. Henrique é filho do técnico Marcos Goto, que também trabalha com Arthur Zanetti há 17 anos. O treinador, da seleção brasileira e de São Caetano, é também um dos responsáveis pelo nível elevado que a ginástica artística masculina brasileira vem alcançando nos últimos anos.

Arthur Zanetti fala em melhorar apresentação para Pan e Mundial

Arthur Zanetti fala em melhorar apresentação para Pan e Mundial

Feliz, Arthur, também não esquece de elogiar os companheiros da seleção brasileira masculina, lembrando que este ano, no Mundial de Glasgow, Escócia, de 23 de outubro a 1 de novembro, o grupo terá de brigar para classificar o Brasil para competir por equipe nos Jogos Olímpicos do Rio pela primeira vez na história. “O Diego Hypólito conseguiu um ótimo resultado, o Angelo Assumpção, o Henrique Flores, todos nós fizemos a nossa parte e estamos de parabéns. Com certeza, vamos dar muito mais alegrias ao povo brasileiro.

O objetivo principal do ano é conseguir pegar uma final por equipes no Mundial e classificar a equipe para os Jogos do Rio 2016. Agora é trabalhar mais duro ainda, precisamos conseguir a vaga. Temos que trabalhar três vezes mais, eu quero muito ter essa sensação de hoje, no Rio.”

Na união, a diferença no grupo que quer mais

Arthur Zanetti disse que a equipe masculina tem qualidade para brigar pela vaga olímpica, mas acha que a mudança principal foi o comportamento dessa geração que pensa no grupo. “Temos que ter paciência, é uma geração nova e tenho certeza que os resultados estão vindo. Nosso diferencial é a união, somos muito amigos, nos conhecemos há 15, 16 anos, todos sabem os defeitos do outro. Então, é acreditar. A união fortalece muito o nosso grupo, acho que não falta nada. Esse grupo é maravilhoso”, acentuou Zanetti.

A próxima competição de Arthur Zanetti será os Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá, em julho. E depois o Mundial de Glasgow. Viaja com a seleção brasileira para camping em Portugal, mas não compete mais nenhuma etapa de Copa do Mundo. “Preciso melhorar alguns detalhes de ângulo, balanço da argola e a saída”, enumera o ginasta, que teve nota 16.050 na qualificatória, a maior da carreira. “A minha nota foi boa. A gente sabe que o critério muda da classificatória para a final, mas foram notas que não fugiram muito. Estou feliz com a minha série, tanto na classificatória, quanto na final.”

Arthur Zanetti é atleta da SERC/Agith/São Caetano, tem patrocínio da CAIXA, Furnas e adidas e apoio da Spieth, Eurotramp, COB, CBG e Bolsa Atleta/Ministério do Esporte.