Feliz com o reconhecimento na festa do Oscar do esporte brasileiro, o campeão olímpico e mundial nas argolas descansa para enfrentar 2015: foco na vaga olímpica para a seleção                                                                                                                                       

 

Flávia Saraiva e Arthur Zanetti: festa da ginástica artística

Flávia Saraiva e Arthur Zanetti: festa da ginástica artística

Rio – O ginasta Arthur Zanetti está de férias – poucas horas após receber o Prêmio Brasil Olímpico como o Melhor Atleta do Ano, no Theatro Municipal do Rio, o ginasta deixou a cidade, na madrugada desta quarta-feira (17/12), ansioso por descanso. Feliz com o bicampeonato na premiação do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) – foi indicado três vezes e ganhou também em 2012 – Arthur Zanetti foi pescar. Depois, passará o Natal com a família e terá alguns dias de férias, antes de retomar os treinos, em janeiro, para a temporada de 2015, ano dos Jogos Pan-Americanos de Toronto e do Mundial de Glasgow, na Escócia, classificatório para os Jogos Olímpicos do Rio, em 2016.

“O ano de 2015 será um dos mais importantes para a ginástica masculina porque é quando vamos buscar a classificação olímpica. Em 2015, vamos decidir a nossa vida. Temos de ir bem, repetir o feito deste ano no Mundial de Nanning (o Brasil terminou em sexto por equipes, o melhor resultado da ginástica masculina do País na história) ou até melhorar. Precisamos conseguir uma vaga com a equipe completa e que cada um tenha o seu melhor resultado individual”, disse Zanetti, informando também que estuda, com o técnico Marcos Goto, uma forma de aumentar a nota de partida de sua série nas argolas, o que significa, ressaltou, treinar muito duro.

O Prêmio Brasil Olímpico de Melhor Atleta do Ano foi definido por Arthur como uma recompensa por um ano dificílimo – foi campeão pan-americano de ginástica artística, nas argolas, em Mississauga, medalha de prata no Mundial de Nanning no mesmo aparelho e ajudou o Brasil a obter a melhor classificação da história por equipe na competição da China, o sexto posto. E também como estímulo para encarar futuros desafios. Arthur estava indicado com Tiago Splitter, do basquete, e Marcus Vinícius D’Almeida, do tiro com arco. E disse que foi surpreendido. “Eu vou falar a verdade. É mais complicado estar aqui do que competir”, disse, no palco, ao lado do ministro do Esporte, Aldo Rebelo, do governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, e do presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman. Arthur Zanetti levou também o troféu de melhor atleta da ginástica artística de 2014, que recebeu das mãos de Rodrigo Lombardi.

“Eu estava falando com a minha mãe: ‘Estou passando nervoso’. Ela respondeu: ‘Eu também, imagino você!’. Eu só quero agradecer a todos os que votaram, estou muito feliz por esse resultado. Quero agradecer à minha família, porque eu cheguei aqui por causa deles, a todos os que treinam comigo, que me incentivam a toda hora, a todos os meus patrocinadores: Sadia, Caixa, adidas e Furnas, ao Ministério, ao COB e à CBG, porque sem eles acho que nenhum atleta estaria aqui. Muito obrigado.”

Arthur Zanetti é atleta da SERC/Agith/São Caetano, tem patrocínio da Sadia, Furnas, adidas e CAIXA e apoio da Spieth, Eurotramp, COB, CBG e Bolsa Atleta/Ministério do Esporte.